Emdagro capacita técnicos sobre cultura do milho

Hoje a cultura do milho coloca Sergipe em quarto lugar do nordeste na produção do grão.

 

Cada vez mais crescente em Sergipe, a cultura do milho tem chegado a regiões sem nenhuma tradição com o plantio e hoje já desempenha uma papel importante na economia do Estado. Diante dos novos desafios que envolve a atividade, a Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro) promove, no período de 14 a 16 de agosto, em Aracaju, um curso de capacitação sobre produção de milho, interpretação de análise de solo e recomendação de adubação da cultura que hoje coloca o estado como 4 maior produtor do Nordeste.

Voltado para 25 técnicos da empresa, o curso acontece no hotel Primme Hotel, na Orla de Atalaia, e foi aberto pelo presidente da Emdagro, Gilson dos Anjos, que destacou a importância da capacitação. “A cultura do milho tem se expandido muito aqui em Sergipe e, por isso, vem tendo uma importância econômica muito grande para o nosso estado. Então, estamos promovendo essa reciclagem dos nossos técnicos sobre novas tecnologias, novas variedades do milho, para que eles possam atender da melhor forma os agricultores assistidos”, reforçou o presidente.

A programação prever aulas teóricas sobre condições edafoclimáticas e fisiologia do milho, população, plantabilidade, posicionamento de híbridos, manejo de herbicidas, adubação e controle de pragas de pragas. “Nossa proposta é fazer um bate papo numa grande troca de experiências e que eles saiam daqui com novas atualizações sobre a cultura, porque manter-se atualizado é muito importante.
Por isso, espero que os técnicos da Emdagro saiam daqui muito mais preparados para, por exemplo, sanar algumas dúvidas dos produtores e acabar com muitos mitos sobre a cultura”, destacou o instrutor Wallace Borges, Engenheiro Agrônomo da empresa Santa Helena BioMatrix.

Segundo o Diretor de Assistência Técnica da Emdagro, Jean Carlos Nascimento, Sergipe, nesse trecho SEALBA (Sergipe, Alagoas e Bahia), representa mais de 50% da produção de milho. “A gente está vendo o crescimento da cultura do milho em todas as regiões do Estado e percebemos a necessidade dessa reciclagem, dessa capacitação dos nossos técnicos para que o agricultor lá na ponta tenha a melhor assistência técnica”, comentou.

Para o técnico e chefe do escritório local da Emdagro em Carira, Ananias Rezende, o curso é importante para orientação do produtor. “Hoje tem muitas informações sobre a cultura do milho que é preciso que a gente se atualize e nós, que temos um conhecimento a mais, temos a responsabilidade de orientar o agricultor da melhor forma”, disse.

Outras culturas

A Emdagro tem observado o crescimento de outras cadeias produtivas que, assim como o milho, tem mostrado uma grande opção para o pequeno produtor. “Começamos realizando diagnóstico na cultura das plantas ornamentais, que tá crescendo muito e que dá um bom rendimento por área para o produtor, o do café que foi uma cultura muito forte no Estado e está voltando, a do próprio milho, e a do açaí que é uma atividade extremamente rentável e vamos captanear as ações, inclusive, na questão do zoneamento agrícola dessas culturas como fizemos com a batata doce”, disse o Coordenador de Agricultura da Emdagro, Eduardo Cabral.

Governo de Sergipe entrega 400 títulos de terra a agricultores familiares de Simão Dias

A iniciativa está dentro do programa de Governo ‘Desenvolve Sergipe’, para 4 anos, com previsão de beneficiar 8 mil famílias com títulos de posse

Na próxima terça-feira, 25 de julho, é celebrado o Dia Internacional da Agricultura Familiar. Para 400 agricultores familiares de Simão Dias, a celebração foi antecipada, já que o governador Fábio Mitidieri entregou seus títulos de terra nesta quinta-feira, 20, durante a solenidade de entrega de reforma do Ipesaúde do município do centro-sul sergipano.

O programa é uma ação de alto impacto social, que garante ao agricultor autonomia, segurança jurídica para si e para os seus herdeiros; assim como valorização da terra; acesso ao crédito rural e à assistência técnica. Também auxilia na comprovação junto ao INSS de que o cidadão é um trabalhador rural, para efeito de aposentadoria, licença maternidade e outros benefícios previdenciários, além de facilitar o acesso às políticas públicas dos governos federal e estadual.

Segundo Fábio, a ação fortalece a cidadania dos pequenos produtores. “Minha felicidade é imensa ao poder oferecer esse importante serviço à população por meio da entrega desses títulos rurais. Essa ação é um marco importante do nosso Governo, desta vez, para a cidade de Simão Dias. Sou extremamente grato ao povo simãodiense pela confiança e apoio, pois é com a colaboração de todos que podemos avançar em direção ao progresso e ao bem-estar coletivo”, disse Fábio.

Ele também agradeceu à população por acreditar no trabalho desempenhado pela equipe da atual gestão. “Sabemos que nenhum sucesso é alcançado individualmente, tudo é resultado do trabalho conjunto de um time determinado, capacitado e comprometido com nosso projeto. Estamos aqui para servir a todos vocês, com dedicação e empenho.”

Dentre os 400 beneficiados da agricultura familiar e de colônias para assentados no município de Simão Dias, Edineuza Santos, 53,  moradora do Povoado Mata do Peru, foi uma delas e revelou a alegria de possuir o documento da sua terra. “Esse documento é muito importante para nós porque oferece uma oportunidade pra gente que não possui condições financeiras de custear ele. É um investimento, por isso, quero agradecer ao governador por tornar esse sonho uma realidade para nós. Agora, com esse título em mãos, teremos melhorias significativas em nossa vida. Agradeço imensamente por essa conquista que beneficiará a todos nós agricultores”, ressaltou.

Para o agricultor João Nogueira, 50, morador do povoado Brinquinho, receber o título de posse garantirá mais tranquilidade para sua família. “Essa escritura é um dos principais documentos para nós, agricultores, e para nossa terra, pois ela vai garantir muitos benefícios, nos ajudará abrindo portas para fazer negócios e auxiliará em nossa aposentadoria. Ainda ajuda a gente que não têm condições financeiras para pagar por ele. Sou muito grato ao governador por essa iniciativa e a todos que trabalham junto com ele para tornar esse documento uma realidade para nós. Essa conquista é significativa e trará melhorias significativas em nossas vidas”, comemorou.

O prefeito de Simão Dias, Cristiano Viana, enalteceu a ação do Estado em prol dos agricultores do municípios. “Estou profundamente grato e satisfeito com esta parceria com o governo que traz inúmeros benefícios para a nossa cidade. Essa colaboração fortalece cada vez mais o progresso e o bem-estar de todos os cidadãos. Juntos, continuaremos a construir um futuro ainda mais promissor para nossa comunidade.”

Quase mil títulos regularizados

A ação de Regularização Fundiária é realizada pela Secretaria de Estado da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca (Seagri), por meio da Empresa de Desenvolvimento Agropecuário (Emdagro). A iniciativa está dentro do programa de Governo ‘Desenvolve Sergipe’, para 4 anos, com previsão de beneficiar 8 mil famílias com títulos de posse.

Nos primeiros seis meses de 2023, já são 976 títulos regularizados para garantir cidadania e segurança jurídica aos agricultores e agricultoras. Em abril, o governador Fábio Mitidieri entregou 380 títulos de posses em Porto da Folha, juntos aos 400 de Simão Dias, já são 780 títulos entregues neste ano. Os demais 196 estão previstos para ser entregues em breve, em Campo do Brito, Aquidabã e Arauá.

O secretário da Seagri, Zeca da Silva, explicou que a entrega dos títulos permite que os produtores possam investir na terra com mais segurança. “Vamos realizar a titulação de aproximadamente 8 mil títulos de posse. Neste ano, já entregamos 936 títulos, superando a meta anual estabelecida em nossa política pública de desenvolvimento agrário. Continuaremos empenhados em garantir mais segurança e oportunidades aos agricultores da nossa região, promovendo o crescimento e bem-estar de todos.”

De acordo com o diretor-presidente da Emdagro, Gilson dos Anjos, a Empresa segue trabalhando na supervisão ocupacional e atualização cadastral dos agricultores familiares para que mais famílias sergipanas sejam beneficiadas. “O título de propriedade é um marco significativo para o pequeno agricultor familiar, pois além de garantir a segurança jurídica, confere os direitos constitucionais, como acesso à aposentadoria pela Previdência Social e auxílio maternidade para as mulheres. Essa conquista torna o agricultor um verdadeiro proprietário de sua terra, proporcionando-lhe diversos benefícios. Além disso, ao obter a titulação lotérica, ele tem acesso a linhas de crédito rural, essenciais para o desenvolvimento do setor. O governo do Estado tem se empenhado em oferecer cidadania a essas pessoas que são fundamentais para a agricultura familiar, responsável por 80% da produção que chega às mesas dos brasileiros e sergipanos. Essa iniciativa vai além das questões jurídicas, pois promove um importante avanço social.”

     

Governo, através da Emdagro, disponibiliza inseminação artificial para pequenos produtores de bovinos

Tecnologia possibilita sincronizar a ovulação das fêmeas bovinas, de modo que a inseminação acontece ao mesmo tempo para todas as vacas


A biotecnologia reprodutiva oferecida gratuitamente pelo Governo do Estado faz parte do programa de melhoramento genético do rebanho. Produtores contemplando com o programa, ano passado, mostraram as primeiras bezerras nascidas de inseminação artificial por tempo fixo (IATF). O programa é fruto de uma parceria da Confederação da Agricultura Familiar (Conafer), com a Secretaria de Estado da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca (Seagri), por meio da Empresa de Desenvolvimento Agropecuário (Emdagro). Essa tecnologia possibilita sincronizar a ovulação das fêmeas bovinas de modo que a inseminação acontece ao mesmo tempo para todas as vacas.

O secretário de Estado da Agricultura, Zeca Ramos da Silva, disse que o programa é direcionado para pequenos produtores que precisam do apoio do governo para melhorar a qualidade do rebanho. “O uso dessa tecnologia traz vantagens para os produtores, ao reduzir o tempo de trabalho nas propriedades rurais. Além disso, garante qualidade para o animal. A prova genética é comprovada, sabemos de onde vem o animal. Temos animais mais produtivos, e qualidade na carne, e no leite”, destacou o secretário.

De acordo com a zootecnista da Emdagro, Diana Garcez, os produtores inscritos e selecionados recebem orientação de técnicos da Emdagro, que enviam a documentação para a Conafer. Após constatarem adimplência em termos de vacinação e outras responsabilidades com a sanidade dos animais, os técnicos entram em contato com os produtores para realizar o agendamento. “Para isso, 30 dias antes do procedimento, os produtores devem retirar o touro, e não podem fazer nada que gere estresse nos animais, e que interfira nos resultados de inseminação”, explica Garcez.

Segundo ela, o processo engloba algumas etapas nomeadas D e número, que correspondem ao número de dias de todo o procedimento. “No dia D0, que corresponde ao primeiro dia do agendamento, o veterinário faz uma avaliação ginecológica nas fêmeas, e aplicação da esponja dos hormônios progesterona e estradiol”, explica a coordenadora. E continua, “No D8, o profissional retorna, retira a esponja e aplica outro hormônio”.

No dia da inseminação, ou D10, os hormônios são aplicados para que as vacas entrem no cio de forma sincronizada. Após 45 dias, o diagnóstico gestacional é feito. “Nesse dia, já esperamos um resultado de que pelo menos metade das vacas estejam prenhas”.  No entanto, ela explica que o produtor que ficou com metade das vacas sem emprenhar, têm a oportunidade de fazer um novo protocolo e ressincronizar os animais.

A médica veterinária e coordenadora de Pecuária da (Emdagro), Izildinha Dantas, explica que o programa é contínuo e pretende inseminar cerca de três mil matrizes por ano. “O programa, que começou em 2022, tem duração de quatro anos e é rotativo. E os primeiros bezerros já começaram a nascer, o que deixa os produtores satisfeitos”, comemora.

Até o momento, 181 matrizes foram cadastradas, sendo que 64 delas já foram protocoladas. Alguns produtores de Glória já foram contemplados com o nascimento das bezerras, sendo sete machos e sete fêmeas; em Porto da Folha quatro machos e três fêmeas; já em Itabi nasceram dez fêmeas e 12 machos.

O produtor Agenilson dos Santos, da comunidade do Couro, em Monte Alegre, que já tinha sido beneficiado pelo em 2018, falou da importância de fazer parte do programa novamente e receber o apoio do governo. “Foi muito bom receber essa ajuda do governo, da Emdagro, dos veterinários, e ter essa parceria com eles. Das minhas dez vacas, oito emprenharam”. Até o momento, nasceram cinco bezerros, sendo três fêmeas e dois machos. “E na minha fazenda, até as gêmeas nasceram”, comemora.

Ricardo Oliveira dos Santos, produtor em Glória, entrou no programa a convite de um técnico da Emdagro do município. “Recebi as visitas dos técnicos, veterinários. Eles  inseminaram treze vacas. Dessas, cinco emprenharam, e nasceram três bezerros, duas fêmeas e um macho. Mas ainda tenho duas vacas que vão parir daqui a pouco”, explica. Segundo dos Santos, a participação é importante para garantir o melhoramento genético da sua criação. “Está sendo muito bom participar desse programa do Governo. É ótimo para o produtor, que ganha com a melhoria da qualidade genética dos seus animais, sem custos para a gente. Gostaria de ter sempre oportunidades do Governo como essas”, destaca o produtor.

Acesso ao programa

O Programa de Melhoramento Genético por meio do IATF está disponível para pequenos criadores de bovinos de corte e de leite com até 50 vacas. O criador interessado deve fazer o cadastro nos escritórios municipais ou regionais da Emdagro, apresentar comprovante de vacinação e vermifugação dos animais, além da documentação do produtor. A Emdagro informa, também, sobre a importância de ter um curral adequado para a realização dos procedimentos.

         

Vários municípios alcançaram 100% de vacinação contra Febre Aftosa nesta primeira etapa de 2023

Temos uma notícia muito boa para o setor pecuário. Na primeira etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa agora em 2023, o estado de Sergipe alcançou um índice geral de 94,36% do rebanho vacinado. Muitos municípios chegaram a 100% do rebanho vacinado.

Foram imunizados 1.159.392 bovinos e bubalinos de todas as faixas etárias. O índice ficou acima do preconizado pelo Ministério da Agricultura, que é de 90%.

Emdagro avança implantando hortas agroecológicas e orgânicas em comunidades rurais

Ao todo, 35 hortas foram implantadas em 15 municípios sergipanos

Com o intuito de contribuir com a produção e consumo de alimentos seguros e saudáveis de populações do campo e da cidade, o Governo de Sergipe, por meio da Secretaria de Estado da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca (Seagri) e da Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro), vem executando junto a comunidades rurais, associações e escolas o Programa Cultivando Hortas Agroecológicas e Orgânicas – Alimento Seguro e Saudável na Mesa, que tem como meta a implantação de 35 hortas nas modalidades escolar, coletiva e familiar.

As hortas estão sendo distribuídas entre os espaços escolares, tanto na sede como nas comunidades rurais, centros de assistência social, associações beneficentes, a exemplo da Apae em Aracaju, e estão norteadas por alguns critérios que buscam garantir a sustentação prática. São eles: a definição das áreas de plantios, as formas de abastecimento d’água, pequenos materiais e equipamentos de apoio ao processo, mão de obra, assistência técnica em todas as fases e na aquisição de insumos, a exemplo de sementes e mudas distribuídas pela Emdagro.

Segundo a responsável pelo Programa de Organização e Desenvolvimento Social da Emdagro, Abeaci dos Santos, as demandas, principalmente por hortas escolares, são consideradas e motivadas pela preocupação de ofertar aos alunos uma alimentação livre de agrotóxicos, além de garantir que elas sejam transformadas em espaços de ensino e aprendizagem das diversas disciplinas. “Cada escola que demanda implantação de horta tem como um dos critérios apresentar o seu projeto pedagógico, para que as expectativas do programa sejam respondidas”, disse.

Para a nutricionista da Escola Municipal Abdias Oliveira, em Riachão do Dantas, Niliane Lima Rodrigues, o projeto de hortas também tem como objetivo articular todas as faixas de ensino, desde a creche até a Educação para Jovens e Adultos (EJACampo). “Com as parcerias articuladas entre Emdagro, secretarias de Educação e Agricultura, podemos ir mais além, utilizando as hortas como importantes recursos pedagógicos, onde os alunos podem, por exemplo, aprender matemática, calculando o período da safra das verduras, e o português, fazendo ditado a partir de sua observação durante o desenvolvimento das plantas e ciências, observando o processo de germinação”, reforçou.

O programa já beneficiou os municípios de Riachão do Dantas, Riachuelo, Boquim, Itabaiana, Ribeirópolis, Brejo Grande, São Cristóvão, Porto da Folha, Capela, Indiaroba, Muribeca, General Maynard, Barra dos Coqueiros, Simão Dias e Aracaju e é mais uma ação da Diretoria Técnica da Emdagro, que vem articulando parcerias com as diversas prefeituras do estado, destacando, entre outros profissionais, técnicos em agropecuária, engenheiros agrônomos, diretores de escolas, nutricionistas, professores, alunos e presidentes de Associações de Agricultores Familiares, quilombolas e indígenas.

Produtores de plantas ornamentais são orientados sobre problemas fitossanitários e nutricionais dos vegetais

O trabalho faz parte da assistência técnica do Governo do Estado ao cultivo de plantas ornamentais em Boquim, onde os produtores contabilizam uma produção superior a 50 mil mudas por ano.

Produtores de plantas ornamentais de Boquim, na região sul de Sergipe, receberam técnicos e

pesquisadores da Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro), na terça-feira, 4, em continuidade ao trabalho de assistência técnica iniciado no município e coordenado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca (Seagri). A ação, realizada na comunidade Três irmãos, reuniu 17 produtores locais que puderam falar sobre as principais doenças e pragas que têm afetado suas plantações. Amostras das plantas foram coletadas e encaminhadas para análise técnica laboratorial, a fim de diagnosticar a causa dos problemas que vêm ocorrendo especialmente com as mudas de mini ixória, dracena e palmeira ornamental. 

De acordo com o pesquisador da Emdagro, Marcelo Mendonça, o objetivo da atividade foi orientar os

produtores sobre potenciais problemas fitossanitários e nutricionais que estão ocorrendo nas mudas de plantas ornamentais e que vem causando transtornos para sua produção e comercialização. “A Emdagro está realizando esse diagnóstico, a fim de conhecer a realidade dos produtores de plantas ornamentais e gramíneas. Vamos continuar investindo e apoiando esses produtores que vivem de forma direta ou indireta da produção e comercialização desses itens, onde a maioria deles contabiliza uma produção superior a 50 mil mudas/ano”, destacou Marcelo, que coordena a pesquisa com o apoio da também pesquisadora Luzia Tabosa. 

O chefe do escritório da Emdagro, em Boquim, Jeotônio Ferreira Neves, observou que a atividade com plantas ornamentais já existe no município há uns 20 anos. “São cerca de 100 famílias que produzem nas comunidades de Olhos D’Água, Miguel dos Anjos, Punga e Três Irmãos. Além desse trabalho de assistência técnica, fizemos a distribuição de três toneladas de um substrato novo, rico em fósforo e material orgânico, fornecido pela Ambev, para teste em três propriedades do município, a fim de verificar a sua viabilidade e futuramente difundirmos em larga escala, para outros produtores da região”, divulgou.

Cacau e palma forrageira

Ainda em Boquim, a equipe da Emdagro visitou a Fazenda Bonfim, de propriedade  do produtor agrícola Antônio Pereira Nascimento, onde será implantada uma unidade demonstrativa de cacau e de palma forrageira. “Já delimitamos a área e orientamos sobre a preparação do solo para receber uma cultivar de palma Mexicana, espécie bem tolerante à seca, resistente à umidade e com alto teor de proteína, para alimentação dos animais”, destacou o técnico agrícola Luiz Menezes dos Santos, observando que a propriedade também será a primeira no município a plantar cacau, como forma de diversificar a atividade frutícola na região. 

Para o diretor de Assistência Técnica e Extensão Rural da Emdagro, Jean Carlos Nascimento, é preciso termos esse olhar atento e acompanharmos de perto o que tem ocorrido com os produtores, a fim de corrigirmos o que for preciso. “Nesse trabalho realizado em Boquim, com os produtores de plantas ornamentais observamos uma troca de experiência entre eles e nossa equipe técnica. São cerca de 100 produtores que viabilizam a geração de 400 empregos diretos na região e a partir desse diagnóstico pudemos conhecer melhor suas necessidades, atuando com orientações mais precisas e qualificadas”, afirmou. “Também com a implantação dessa unidade demonstrativa da palma Mexicana e do plantio de cacau, que terá todo o acompanhamento de técnicos da Emdagro”, pontuou Jean Carlos.

Produtores de plantas ornamentais recebem apoio e assistência técnica da Emdagro

Após a realização de um diagnóstico socioeconômico, o Governo do Estado inicia trabalho de fomento e assistência aos produtores

O município de Boquim, localizado na região sul de Sergipe, começa a despontar no mercado como

produtor de plantas ornamentais. Palmeiras, ixoras, ixoras minis, além da grama esmeralda, são as principais culturas produzidas na região. Após a realização de um diagnóstico, para traçar o perfil socioeconômico dos produtores, a Secretaria de Estado da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca (Seagri), por meio da Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro), iniciou, no último dia 27, um trabalho de assistência técnica e extensão rural com cem produtores de plantas ornamentais.

A ação consiste na disponibilização de substratos a duas propriedades. O grupo, formado na sua maioria por pequenos agricultores, com propriedades de aproximadamente um hectare de área plantada, tem desenvolvido as espécies cuja produção, além de abastecer o mercado interno sergipano, também é vendida para os estados da Bahia, Alagoas, Pernambuco e Minas Gerais.

De acordo com a pesquisa realizada pela diretoria de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) da

Emdagro, com o apoio do escritório local e regional de Boquim, foi observado que mais de 50% dos produtores são naturais do município. Entre os entrevistados, 85 produzem plantas ornamentais e 16 produzem grama, sendo que a maioria deles realiza a venda para outros estados. Em Sergipe, além da capital, Aracaju, os municípios de Lagarto, Itabaiana e Estância se destacam por serem os principais municípios importadores.

O diagnóstico também apontou como principais dificuldades dos produtores da região, o alto custo d

o substrato, escassez de mão de obra e a falta de água. Quando questionados, 97% dos produtores afirmaram durante a pesquisa que desejam receber assistência técnica da Emdagro para continuarem comercializando as Ixoras, crótons, Ixoras mini, palmeiras, dracenas e clúsias.  O agricultor José Sivaldo dos Santos, da comunidade Olhos d’Água, em Boquim, diz que iniciou com o cultivo de plantas ornamentais há sete anos, sem nenhuma experiência, quando um colega o orientou a trabalhar com o cultivo.

O agricultor se diz muito feliz com a notícia do início da assistência técnica por parte da Emdagro. “Eu tive uma perda muito grande ano passado por conta de uma praga e me questionava o fato de não termos assistência técnica. Agora, com o início desse trabalho por parte da Emdagro, vejo um futuro excelente, porque vamos trabalhar com mais gosto, disposição e profissionalismo, já que vamos ter uma orientação sobre aquilo que vínhamos fazendo às cegas, sem nenhuma orientação. A partir de agora, a gente pode avançar muito mais”, comemorou.

Doginaldo Gomes de Lima, produtor da comunidade Três Irmãos, cultiva plantas ornamentais em sua propriedade de aproximadamente duas tarefas e meia. “Trabalho com plantas há mais de 30 anos. Aqui eu produzo mais 60 variedades de plantas que comercializo nos municípios de Serrinha, Feira de Santana, Salvador, Jacobina e Alagoinhas, na Bahia, e até para Recife, em Pernambuco”, observou, ao demonstrar estar muito satisfeito com a proposta de assistência técnica da Emdagro. “Muito importante a gente receber os conhecimentos dos técnicos da empresa, porque vai nos ajudar muito a produzir melhor, com mais técnica”, reforçou.

Assistência técnica

O técnico agropecuário da Emdagro em Boquim, Luiz Menezes, explicou que após feito o diagnóstico, onde foi traçado um perfil socioeconômico de 100 produtores de plantas ornamentais, foi feita a distribuição do substrato para três deles. “Inicialmente eles vão fazer alguns testes com os substratos nas plantas e, uma vez dando certo, a Emdagro tem um plano de firmar uma parceria com a Ambev para fornecer mensalmente esse material a esses agricultores”, frisou. Menezes acrescentou que, uma vez os agricultores vindo a constituir uma organização de produtores, eles terão a possibilidade de adquirir esse material diretamente do fornecedor, sem a interferência do governo, ganhando, assim, maior autonomia. 

Segundo o diretor de Assistência Técnica e Extensão Rural da Emdagro, Jean Carlos Nascimento, atualmente as culturas vêm se desenvolvendo com base na troca de experiências entre os agricultores produtores.  “Com o início da assistência técnica por parte da Emdagro, as orientações passarão a ser precisas e qualificadas, buscando aperfeiçoar, ainda mais, todo o trabalho empregado pelos beneficiados, seja no manejo da cultura, no combate a pragas e doenças, no aumento da produção e também na comercialização”, reforçou.

 


 
 

Governo de Sergipe prepara área irrigada para produção de novas variedades de laranja

No Centro de Fruticultura Tropical da Emdagro, em Boquim, cerca de 550 mudas de quatros variedades diferentes serão plantadas em uma área de 1,5 hectare irrigado, para multiplicação das mudas que serão distribuídas para produtores sergipanos


Importante segmento para a economia do estado, o setor citrícola sergipano recebe incentivo do Governo de Sergipe para produção de novas variedades de mudas de laranja. O objetivo é a renovação e diversificação dos pomares. A iniciativa é realizada pela Secretaria de Estado da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca, por meio da Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro), que também intensificou a fiscalização sobre o transporte e comércio de mudas clandestinas nas fronteiras.

Para o Governo do Estado, o setor citrícola é importante para o desenvolvimento de Sergipe, com a geração de milhares de empregos e produção de uma grande variedade de frutas cítricas, como laranja, limão, abacaxi, maracujá e acerola, que fortalecem a economia local. São 14 municípios produtores nas regiões sul e centro-sul do estado. Uma comprovação da importância deste setor produtivo é o resultado positivo na balança comercial, com 81% da pauta de exportações do estado originada da citricultura. Os dados de exportação foram divulgados pelo Centro Internacional de Negócios (CIN/SE), da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (Fies).

Novas variedades


Segundo a Secretaria de Estado da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca (Seagri), para continuar garantindo a quantidade e qualidade dos pomares cítricos, o governo está produzindo mudas de quatro novas variedades de laranja com alta qualidade produtiva a partir de porta-enxertos fornecidos pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) em cooperação técnica com a Emdagro.

De acordo com Gilson do Anjos, presidente da Emdagro, a Embrapa forneceu 600 borbulhas de quatro novas variedades de porta-enxertos – como as Sunki Tropical, Riverside, Índio e San Diego –, que garantirão a produção de mudas de alta qualidade genética. “As mudas serão multiplicadas no Centro de Fruticultura Tropical da Emdagro, em Boquim, onde cerca de 550 mudas serão plantadas em uma área de 1,5 hectare, por meio de sistema de produção irrigada de mudas. Nesta área serão produzidas cerca de um milhão de mudas de citros por ano para distribuição com os produtores sergipanos”, destaca Gilson.

De acordo com o engenheiro agrônomo da Emdagro e, também, coordenador de Agricultura e Desenvolvimento Sustentável, Eduardo Cabral, com essa ação, os pequenos produtores terão a chance de diversificar sua produção, já que atualmente usam o limão cravo como porta-enxertos. Segundo ele, a razão para o uso exclusivo deste enxerto é o alto custo das sementes. “Um litro de sementes da variedade de porta-enxertos Riversaide, por exemplo, chegou a ser comercializada por R$ 1.000,00”, explica Cabral. Porém, usar base única de porta-enxertos traz riscos à produção. Ainda segundo o agrônomo, laranjais com porta-enxertos de limão cravo são altamente susceptíveis à doença ‘morte súbita’, que se alastra pela produção, dizimando-a.


Outra ação do Governo de Sergipe que se intensificou foi a fiscalização sobre o transporte e comércio de mudas clandestinas, que podem estar contaminadas com pragas e doenças. Dessa forma, deve-se coibir a prática ilegal de entrada de plantas sem certificação fitossanitária.

De acordo com o secretário da Agricultura, Zeca da Silva, as duas ações estruturantes feitas pelo Governo de Sergipe continuarão garantindo a quantidade e qualidade dos nossos pomares cítricos. Em agosto de 2023, as mudas estarão prontas para o plantio e essa ação reforça o protagonismo que a citricultura, em especial a laranja, tem em Sergipe. “Somos o menor estado da federação, mas ainda ocupamos uma posição importante como 5º lugar na produção nacional de laranja, e o 2º no Nordeste. Temos ainda o suco de laranja não fermentado como um dos principais produtos exportados e de equilíbrio da balança comercial sergipana”, completa Zeca.

Emdagro participa de fórum que reuniu agências de defesa agropecuária de todo o Brasil

Fonesa e Senagri ocorreram na capital mineira de Belo Horizonte


A Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro) participou, no período de 13 a 15 de junho, na capital mineira de Belo Horizonte, da reunião do Fórum Nacional dos Executores de Defesa Agropecuária – FONESA e do Seminário Nacional sobre os Insumos Agrícolas – SENAGRI. Na ocasião, a Diretora de Defesa Animal e Vegetal, Aparecida Andrade, representou a empresa que discutiu sobre os principais temas voltados para a defesa agropecuária nos estados, a exemplo da Influenza aviária, que foi o tema mais debatido no encontro.

“O Fonesa é um fórum necessário para discutir e harmonizar estratégias que constituem a base para as políticas públicas de Defesa Agropecuária”, comentou a diretora. Segundo ela, a influenza Aviária foi uma das principais pautas. “Lá foi discutido a importância da regionalização do país com relação a ocorrência de focos de influenza aviária, a fim de tentar minimizar possíveis impacto as exportações, discutiu também o uso de tecnologias como drones e helicópteros para otimizar o enfrentamento da doença”, disse.

Outro tema importante, de acordo com Aparecida, foi o processo de retirada da vacinação nos Estados. “Nessa questão, o Ministério da Agricultura (Mapa) será acionado para definir estratégias e orientação para os Estados”.

SENAGRI
No Seminário Nacional sobre Insumos Agrícolas (SENAGRI), aconteceu um amplo debate entre os representantes dos órgãos de Defesa Agropecuária a fim de viabilizar a elaboração e cumprimento de normas legais em todo território nacional, de forma harmonizada, levando em consideração as realidades regionais. “Com isso a Emdagro implantará em Sergipe uma série de melhorias para atender melhor o produtor rural e garantir segurança alimentar para população”, completou a Aparecida.

Seagri, Emdagro e ITPS se unem para levar serviço de análise de solo ao ‘Sergipe é aqui’ em Dores.

Para os agricultores e produtores rurais, a novidade da 6ª edição do ‘Sergipe é aqui’ realizada nesta sexta, 16, em Nossa Senhora das Dores, foi o serviço de análise de solo viabilizado pela parceria entre Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro) e Instituto Tecnológico e de Pesquisas do Estado de Sergipe (ITPS). O objetivo foi coletar amostras para análise e, com o resultado, recomendações serão feitas para os agricultores melhorarem suas plantações. Além desta novidade, a Secretaria de Estado da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca (Seagri) se fez presente juntamente com suas vinculadas, para levar outras ações e serviços.

Durante toda a semana, uma equipe técnica da Emdagro visitou 30 propriedades de pequenos agricultores familiares no município, coletando amostras de solo, a fim de encaminhar para análise no ITPS, órgão delegado do Inmetro em Sergipe. “Essas amostras agora seguem para o ITPS analisar em seus laboratórios e definir as recomendações técnicas que devem ser adotadas pelos agricultores, a fim de melhorar o solo e, consequentemente, o plantio em suas lavouras”, explicou o diretor-presidente da Emdagro, Gilson dos Anjos. “A partir dessa análise é possível definir o que falta de nutrientes no solo e qual tipo de adubo e calcário a terra está precisando”, reforçou. 

O agricultor Gildo Meneses, de 40 anos, ficou satisfeito em receber a equipe da Emdagro em seu sítio, no povoado Acensso, onde planta mandioca, milho e feijão. “Foi muito bom ter essa oportunidade, de analisar o solo de minha terra e saber como cuidar melhor dele”, disse. 

Para o agricultor Fábio Santana, que há dez anos planta milho e cria gado no povoado Itaperoá, foi importante participar desse projeto. “Com o resultado dessa análise saberemos usar melhor os recursos que temos para tratar da terra, usando o adubo correto e, assim, garantindo uma melhor colheita no final”, atestou. 

De acordo com o técnico agrícola da Emdagro, Gilberto Santana, a coleta de amostras de solo atende a uma série de critérios previamente estabelecidos. “A maioria dos agricultores visitados não vislumbra a importância dessa atividade, então fazemos também um trabalho educativo, demonstrando a importância de conhecer o solo onde plantam, para fazerem o uso correto de adubos e fertilizantes”, enfatizou. 

Entrega de certificados

Outro serviço oferecido pela Seagri, por meio da Emdagro, no ‘Sergipe é aqui’, foi a emissão e entrega do Cadastro Nacional da Agricultura Familiar (CAF). A agricultora Maria Aparecida dos Santos, do povoado Acensso, na zona rural de Dores, veio ao Colégio Estadual General Calazans para receber seu CAF. “É um documento que todos nós agricultores familiares precisamos ter e foi de grande importância para minha aposentadoria”, disse a produtora rural, que é viúva e tem três filhos. 

O casal Marleide Alves e José Renilson de Souza Dantas, que possui um sítio no povoado Mundo Novo, em Dores, também esteve no local para receber o documento da Emdagro. “Com o CAF em mãos, a gente consegue acesso a um empréstimo no banco para investir em nossa roça e colocar outros projetos pra frente”, disse o agricultor, que planta mandioca, feijão, entre outras culturas, e agora vai investir também na criação de gado de corte.

 

Parceiros:

Última atualização: 20 de junho de 2023 11:10.