24 de março de 2022 09:26

Emdagro e setor produtivo discutem vacinação contra a Brucelose


Órgão prorroga para dia 21 de junho bloqueio de GTA’s de propriedades inadimplentes com a vacinação


Na manhã da última segunda-feira (21), representantes da Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro), da Secretaria de Estado da Agricultura, Superintendência Federal de Agricultura (SFA) e da Federação da Agricultura do Estado de Sergipe (Faese) estiveram reunidos na sede da Emdagro para discutirem os Programas Nacionais de Controle e Erradicação da Brucelose e da Febre Aftosa.  Na oportunidade, representantes do setor produtivo manifestaram preocupação com a decisão do órgão agropecuário em bloquear a emissão da Guia de Trânsito Animal (GTA) de propriedades rurais cujas vacas não tenham sido vacinadas contra a Brucelose.

A medida vinha causando preocupação de produtores que alegavam desconhecimento da decisão e não haver tempo hábil para um maior planejamento das vacinações. “Acho que a gente conseguiu trazer a visão do criador, a visão do pecuarista, com relação à vacinação da Brucelose. Sabemos da obrigatoriedade e estamos totalmente de acordo que se cumpra a legislação, mas também acordamos aqui e chegamos a um denominador comum com a direção da Emdagro a prorrogação do prazo para que as sanções sejam aplicadas. Saímos daqui com esse sentimento de fazermos chegar aos produtores essas informações com muito mais intensidade, informando que novo prazo ficou para o dia 21 junho para que cumpra com a vacinação”, disse o presidente da Federação da Agricultura do Estado de Sergipe, Ivan Sobral, que reconhece a obrigatoriedade da vacinação.

Para o Presidente da Emdagro, Jefferson Feitoza de Carvalho, o órgão agropecuário entende as preocupações do setor produtivo. “Nosso papel não é prejudicar os criadores e sim defender a sanidade do rebanho bovino do Estado, fazendo com que cheguemos ao patamar de outros Estados do Brasil. Então, após ouvirmos os representantes dos produtores, decidimos estender por mais três meses o prazo de bloqueio da emissão da GTA para aqueles estabelecimentos que possuem fêmeas não vacinadas contra a Brucelose”, garantiu o presidente.

Segundo a diretora de Defesa Animal e Vegetal da Emdagro, Aparecida Andrade, o órgão vem trabalhando a comunicação e a divulgação sobre obrigatoriedade da vacina contra a Brucelose junto aos agricultores de todo o estado e esclareceu os critérios estabelecidos nesse primeiro momento. “A Emdagro já vem trabalhando a um bom tempo a divulgação sobre a importância da vacinação da Brucelose junto aos criadores. Com o que ficou acordado na reunião, o novo prazo para o bloqueio automático da GTA pelo Sistema de Integração Agropecuária (SIAPEC3) será até o dia 21 de junho daquelas propriedades cujas fêmeas não tenham sido vacinadas contra a Brucelose”, esclareceu a diretora.

Aparecida disse ainda que que o bloqueio será realizado de forma gradual, iniciando com a faixa etária 3 a 8 meses de vida e, a partir do novo prazo as demais faixas etárias servirão como base para bloqueio após análises dos setores envolvidos. “Além disso, para movimentar as fêmeas é necessário que elas estejam vacinadas, conforme já ocorre e para todas as finalidades. Apenas para emissão de GTA com finalidade abate será dado um prazo maior para dar tempo ao produtor de regularizar seu rebanho”.

Representando a Superintendência Federal de Agricultura em Sergipe, Guilherme Coda diz que a reunião foi muito positiva pela participação dos diversos setores interessados que reconheceram a medida da Emdagro. “A decisão da Emdagro não é uma penalidade, mas sim uma medida de precaução que está prevista na legislação para trânsito de animais de estabelecimentos que estejam irregulares com a vacinação contra a Brucelose. Na verdade, a vacinação é obrigatória em todo o Brasil há 21 anos e esse prazo que está sendo trabalhado pela Emdagro é necessário para que se possa trabalhar a educação em saúde junto aos produtores para que eles sejam sensibilizados e conscientes da importância de se vacinar os animais e não serem prejudicados no sentido de terem suas propriedades impedidas de emitir uma GTA”, comentou Guilherme.

Febre Aftosa
Também na reunião, foi discutida a Campanha de Vacinação contra a Febre Aftosa, cuja primeira etapa deverá ocorrer a partir de maio deste ano. Diferente de anos anteriores, a vacinação será em bovinos e bubalinos com idade de até 24 meses. A medida acontece diante da logística de fornecimento do imunizante em nível nacional.

Last Updated on 24 de março de 2022 by carlos.mariz