23 de maio de 2022 09:27

Emdagro busca estratégias que viabilizem escoamento da produção de pequenos agricultores


Os principais canais de comercialização são os mercados institucionais, feiras livres, pontos de vendas, mercados centrais e Ceasa


O desafio de todo agricultor familiar é levar seus produtos até a mesa dos consumidores, entretanto, o caminho para o acesso aos principais canais de comercialização não é tão simples assim. Para comercializar sua produção, o produtor rural precisa não só produzir alimentos de boa qualidade como também conhecer seu mercado de atuação. Buscando solucionar esse problema, a Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro) vem atuando com diversas estratégias que viabilizem os acessos aos diferentes mercados para a agricultura familiar de Sergipe.

A experiência vivenciada pelo agricultor familiar Fábio Justino dos Santos, do Povoado Ipanema, Município de Itaporanga D´Ajuda, distante 30 km da capital Aracaju, é uma delas. Assistido pelo chefe do escritório local da Emdagro naquele município, Arlindo Martins de Oliveira, o produtor de milho, amendoim e macaxeira, encontrou no órgão de Ater o apoio que precisava para comercializar seus cultivos e manter a renda da família. Hoje ele tem um ponto de venda próximo à feira livre de Itaporanga D`Ajuda.

“No mês eu vendo em média 15 mil espigas de milho nas duas feiras que comercializo, uma aqui em Itaporanga e outra no CEASA de Aracaju. A renda não é muito, mas ajuda com as despesas da casa”, disse o produtor, que considera o apoio da Emdagro excelente. “O que preciso dos técnicos da empresa eu tenho. A Emdagro é essencial na vida do agricultor. Agora mesmo, pelos próximos dias, eles vão lá na minha propriedade para fazermos a análise solo”, disse ele.

A agricultora Edinalva de Equino, do Povoado Chan, também em Itaporanga D´Ajuda, comercializa acerola, laranja, banana e abacate no ponto de venda localizado próximo à feira livre no município. “Além das feiras aqui em Itaporanga, também vendo meus produtos em Lagarto. O apoio da Emdagro foi muito importante, porque sempre nos ajudou a produzir para o nosso próprio consumo e agora estamos ganhando alguns mercados que garantem renda para o produtor”, frisou a agricultora assistida pelo técnico Breno Santos Batista.

Para o Assessor de Comercialização da Emdagro, Wagner Brito, o ponto de venda é o canal de comercialização da agricultura que mais tem se destacado, porque proporcionar ao agricultor familiar agregar renda ao seu produto na hora de vender. “Ponto de venda é o local estratégico por haver circulação de pessoas, onde os produtos produzidos pelos agricultores familiares e suas organizações são comercializados levando-se em consideração onde se apresente o melhor preço. Por isso, é papel da Emdagro, na qualidade de órgão oficial do Estado de Sergipe, dar essa assistência aos agricultores familiares”, comentou.

Outros exemplos de comercialização em pontos de vendas são os agricultores Clóvis Silveira de Assunção, do Povoado Caueira, assistido pelo técnico Carlos Alberto Alves Farias, que comercializa mangaba e coco em frente de sua propriedade, localizada na Linha Verde; a agricultora Maria Luzimeire dos Santos Cruz, do Povoado Campos, vende banana próximo à feira do município. A agricultora é assistida pelo técnico José Carlos Pinho. Já o agricultor José Augusto Neto, do Povoado Água Bonita, assistido pela técnica Karine Araújo Medeiros, tem seu ponto de venda na estação do município todas as quartas-feiras e na feira livre aos sábados.

Last Updated on 23 de maio de 2022 by carlos.mariz