Emdagro faz resgate histórico da memória fundiária do Estado

Mais de 15 mil processos históricos das extintas EMATER-SE, FUNDASE e SUDAP estão sendo scaneados e preservados em ambiente virtual

Resgatar a memória fundiária do Estado de Sergipe, esse tem sido o propósito da Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro) em empreender um importante trabalho de digitalização de documentos que remontam às extintas EMATER-SE (Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Sergipe), FUNDASE (Fundação de Assuntos Fundiários de Sergipe), SUDAP e COHIDRO. Mais de 15 mil processos, com registros que datam de 40 a 50 anos atrás, estão sendo preservados para garantir a riqueza histórica e a acessibilidade a informações cruciais sobre propriedades no estado.

Com o avanço da tecnologia, o processo de digitalização conduzido pela equipe da Diretoria de Ações Fundiárias da Emdagro tornou-se possível realizar esse resgate histórico de maneira mais eficaz. Mais de quatro mil processos já foram digitalizados. Entre os documentos preservados estão mapas, memoriais descritivos, dentre outros, que retratam a fisionomia e a morfologia de diversas regiões.

O Diretor de Ações Fundiárias, Marcelo dos Santos, ressalta a importância desse acervo: “É um acervo grande que precisava ter um tratamento especial diferenciado, e pela primeira vez a Emdagro está realizando esse tipo de trabalho”. Ele destaca que muitas informações presentes nesses documentos são essenciais para compreender a história das regiões do estado, do litoral, centro-sul ao Sertão de Sergipe. A digitalização desses processos não apenas preserva a memória histórica, mas também facilita o acesso às informações. Todos os servidores da Emdagro, especialmente aqueles nos escritórios locais do interior do estado, poderão consultar esses registros por meio do sistema DPN. Essa iniciativa trará mais agilidade às consultas, que anteriormente eram realizadas fisicamente, permitindo que os servidores acessem o histórico da cadeia sucessória de posseiros e proprietários de lotes de qualquer lugar.

“Com esse esforço concentrado, a Emdagro não apenas resgata a memória fundiária do Estado de Sergipe, mas também estabelece um precedente significativo ao realizar um trabalho inédito e essencial para preservar a história e o patrimônio do estado de Sergipe”, ressaltou Marcelo.

Histórico
Com a reforma administrativa de 1991, o Governo do Estado extinguiu a SUDAP, COMASE, EMPEASE, FUNDASE e CEASE e levou à transformação da EMATER-SE em Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (EMDAGRO). A Emdagro absorveu as atividades de pesquisa agropecuária, sanidade animal e vegetal, fomento e regularização fundiária dos órgãos extintos, que passaram a ser somadas às ações de assistência técnica e extensão rural.

 

Parceiros:

Última atualização: 26 de janeiro de 2024 11:06.